23 de março de 2017

Resenha: A Rosa Branca - Amy Ewing

Livro: A Rosa Branca
Autor: Amy Ewing
Editora: Leya
Páginas: 316
Compre: Amazon

Sinopse: No livro 1 da série A Cidade Solitária, A Joia, Violet Lasting é comprada por uma das mulheres mais poderosas da realeza, a Duquesa do Lago, e vai viver com ela na Joia, o círculo onde mora toda a nobreza. A Cidade Solitária é dividida em cinco círculos: Joia, Banco, Fumaça, Fazenda e Pântano. Violet nasceu no Pântano, e foi escolhida como substituta, nome dado às garotas que têm um poder especial: os Presságios, que lhe possibilitam gerar os bebês das mulheres da realeza. Assim, Violet tornou-se a substituta da Duquesa. No entanto, a jovem logo descobre que a vida na Joia é difícil para quem não faz parte da realeza.
   Agora, no livro II, Violet terá um grande desafio. Precisará fugir do círculo nobre da Cidade Solitária para salvar a própria vida e a do seu amado, Ash. O casal contará com ajudas preciosas na busca por um refúgio na Rosa Branca, uma casa na Fazenda, onde terão proteção e paz, libertando-se da vida de servidão que levavam. Porém, eles vão descobrir que uma grande revolução está sendo planejada contra a realeza, algo que afetará a vida de todos na Cidade Solitária.
   A Rosa Branca traz novas e incríveis reviravoltas, e será impossível não ficar ansioso pelo último livro da trilogia.


Violet foi flagrada na cama com Ash pela Duquesa do Lago, sua proprietária. Depois disso, a vida de luxo que ela levava como substituta de uma das mulheres mais importantes da realeza desmoronou. Revoltada com o que considerou uma traição, a Duquesa resolveu prender os dois, em celas separadas. Agora, a vida de ambos está seriamente ameaçada. A única esperança de Violet é seu amigo Lucien, que pode ajudá-la a fugir. 

Eu não li o primeiro livro, mas a editora disse que não haveria problema, daria para entender sem problemas. Realmente deu para entender 99% das coisas, algumas eu fiquei um pouco perdida, mas irei procurar o primeiro livro para ler depois. 

Violet é a típica mocinha em que você se apaixona e também tem vontade de dar uns tapas bem sérios nela. É uma personagem bem forte, que tenta se salvar, mas também tenta salvar aqueles que ela ama - o que pode coloca-lá em perigo algumas vezes. 

"Um: ver o objeto como é. Dois: ver o objeto em sua mente. Três: submetê-lo à sua vontade."

A história da série A Cidade Solitária é totalmente incrível! Eu fiquei apaixonada por tudo desde o primeiro capítulo, pois é diferente de tudo aquilo que estamos acostumadas a ler envolvendo princesas. Tem muitos mistérios, magias estranhas, personagens cativantes e odiosos, muita confusão, gente querendo derrubar aqueles que estão no poder e, claro, muito romance (esse último sempre tem que ter).

Os Presságios são a maior loucura! Eu nunca imaginei que uma coisa assim pudesse estar num livro estilo princesa. Eu me apaixonei por eles e fiquei com vontade de ter alguns pra mim =D 

A escrita de Amy é muito leve e cativante. Não tem como não se apaixonar por cada elemento do livro e querer ficar naquele universo para sempre. O final me deixou louca pelo terceiro, então por favor Leya, lance logo! E traga a linda da Amy para o Brasil novamente que preciso dar na cara dela por me deixar nervosa e dar um beijo nela <3  


Obrigada a editora Leya e a Aliança de Blogueiros pelo livro. 

22 de março de 2017

Resenha: A Melhor coisa que nunca aconteceu na minha vida - Laura Tait & Jimmy Rice

Livro: A Melhor Coisa que Nunca Aconteceu na Minha Vida
Autor: Laura Tait & Jimmy Rice
Editora: Leya
Páginas: 270
Compre: Amazon

Sinopse: Todo mundo faz planos para o futuro. Mas será que a vida sempre leva aos caminhos desejados?
   Viajar pelo mundo, ter o emprego dos sonhos, um grande amor do passado. Cada um imagina que sua vida acontecerá de uma maneira diferente. Perto de completar trinta anos, Holly e Alex, que não se veem há onze anos, voltam a se encontram por acaso.
Como o reencontro vai afetar a vida desses velhos amigos de infância?
   Na adolescência a amizade escondia uma grande paixão não revelada. E que, mesmo com o passar dos anos, continuou na memória como lembrança ou arrependimento do que poderia ter sido. O que aconteceria se o destino reservasse a possibilidade de viver uma segunda chance, tanto na vida quanto no amor?



Esta resenha será bem curta, pois não tenho muito que falar deste livro. Os dois corações que estou dando é mais pela capa e pela diagramação do que pela história - que não me conquistou em nada. 

Quando vi este livro fiquei super animada para ler, pois me encantei pela capa e pelo nome, já fui pensando em mil coisas que poderiam ser e no inicio da leitura houve muita decepção. Não acontecia nada e não era nada daquilo que havia imaginado. Pensei que pudesse ser só comigo, então falei com os outros membros da Aliança e eles estavam sofrendo da mesma coisa. 

O livro é parado, a narrativa é chata e cansativa. Parece que quanto mais você lê, nada acontece e você nunca sai da mesma página. Laura Tait e Jimmy Rice parece que não sabiam o que estavam fazendo, senti como se cada autor quisesse escrever sobre uma coisa e eles juntaram tudo e ficou essa coisa. Não ficou nada bonito e nem fofo (como essa capa linda). 

O primeiro amor. Uma segunda chance. 

Além do livro ser cansativo e não acontecer nada, o final me deixou muito p*. Não vou dar spoiler no que acontece, mas cara, depois de um livro desses pelo menos o final deveria ser bom. Mas não, nadinha desta história foi bom. 

Parei para pensar depois e cheguei a conclusão que posso ter criado muita expectativa em cima dele e quando não foi aquilo que imaginei, coloquei defeito em tudo. Pode ter sido isso? Pode. Então meu concelho é se você tem esse livro ou pensa em comprar, não vá com nenhuma expectativa para cima dele, talvez ele fique incrível assim. 

E daqui a um tempo eu vou parar para ler esse livro de novo, talvez assim as coisas mudem entre eu e ele. 


Obrigada Editora Leya por ter cedido o livro. E também a Aliança de Blogueiros. 

21 de março de 2017

Resenha: Wicked - Gregory Maguire

Livro: Wicked
Autor: Gregory Maguire
Editora: Leya
Páginas: 495
Compre: Amazon 
Sinopse: O livro que baseou o premiado musical da Broadway "Wicked", assistido por quase 50 milhões de pessoas no mundo todo e que chegou em palco brasileiro em 2016. 
Depois deste livro, você nunca mais vai olhar para a Terra de Oz da mesma forma, e provavelmente vai perceber que a Bruxa Má do Oeste pode não ser tão má quanto imaginávamos. 








Quando a Leya anunciou no Encontro que todos iriam receber o livro Wicked, houve uma gritaria. Todos estavam super empolgados em ter este livro em mãos. Eu já tinha ouvido falar dele, mas nunca cheguei a ver este livro a fundo e quando recebi o meu, fiquei me perguntando porque demorei tanto para ter este livro. 

Para começar a capa é linda demais, ela tem um tom de verde neon bem chamativo e os detalhes em preto são brilhante e tem meio que um alto relevo INCRÍVEL! Dentro do livro temos mais detalhes para ficar suspirando, com mapas e desenhos de deixar qualquer leitor de queixo caído. E para fechar o pacote perfeição, temos folhas amareladas <3 

"Wicked faz parte de um fascinante gênero de romances que revisita clássicos como uma forma de crítica e homenagem." - The Independent 

Neste livro, vamos descobrir mais sobre a história de Oz de um outro lado. Desta vez quem contará a história é Elfaba, a Bruxa Má do Oeste. Quem é apaixonado pelos vilões da história não pode deixar de ler este livro, e quem não curte vilões leia também você irá se surpreender. 

Também vamos ter uma improvável amizade da Bruxa Má do Oeste e Glinda, a Bruxa Boa do Norte, donas de personalidades tão opostas que se tornaram melhores amigas; a rivalidade das duas ao se interessarem pelo mesmo homem; e a reação do governo corrupto do Mágico de Oz também estão no foco de Wicked. 

A escrita de Gregory é surpreendente! Você fica preso deste a primeira palavra e quando o livro termina você não consegue acreditar em tudo o que leu. É como se precisasse de mais daquela história, mais daquele mundo e todas as 500 páginas não foram nenhum pouco suficientes para satisfazer a sua vontade. 


Estou totalmente fascinada com Wicked e com Gregory, ambos entraram para a lista de melhores da minha vida! Não poderia dar menos de 5 corações para estes lindos! 


Obrigada Editora Leya e a Aliança de Blogueiros <3

19 de março de 2017

Resenha: Redoma - Meg Wolitzer

Livro: Redoma
Autor: Meg Wolitzer
Editora: Globo Alt
Páginas: 287
Compre: Amazon

Sinopse: Fui mandada para cá por sua de um garoto. Seu nome era Reeve Maxfield, eu o amava e então ele morreu, e quase um ano se passou e ninguém sabia o que fazer comigo. Por fim, ficou decidido que o melhor seria me enviarem para esse lugar, como diz o folheto, um internato para adolescentes "emocionalmente frágeis e altamente inteligentes".

"Uma moderna celebração do poder sagrado e transcendente da leitura e da escrita." The New York Times

"Um conto mágico sobre um colégio interno e uma história de amor sobrenatural." Glamour



O mundo muitas vezes não é um lugar justo. Se fose, Jam Gallahue estaria em sua casa em Nova Jersey, com Reeve Maxfield, seu namorado, trocando beijos entre as estantes da biblioteca e espalhando aos quatro ventos o quanto eles estavam apaixonados. Se o mundo fosse justo, Jam não estaria presa em um internato para adolescentes emocionalmente instáveis. Se o mundo fosse justo, Reeve não estaria morto. 

O que Jam ainda não sabe é que ao ser escolhida para a exclusiva turma de Tópicos Especiais em Inglês, sua vida e a forma como vê o mundo está prestes a mudar. Capitaneados por uma professora misteriosa e inspiradora, um grupo bastante exclusivo de alunos se se reúne todas as semanas para estudar a obra de Sylvia Plath. Enquanto leem "A Redoma de Vidro", romance da autora que se confunde com as experiências pessoais da classe, cada aluno deve, assim como fez Plath mais de cinquenta anos antes, escrever um diário. Á medida que as páginas são preenchidas, eles são levados para um universo paralelo chamado de "Redoma", onde as tragédias que os levara até o internato jamais aconteceram e eles têm a chance de voltar às suas antigas vidas por algumas horas. Na Redoma, Jam pode novamente sentir os braços de Reeve ao redor de seu corpo e beijar seus lábios quentes. Lá, eles se amam e tudo ainda parece estar bem. Quando as páginas do diário se aproximarem do fim, os alunos terão que decidir encarar as verdades que não desejam ver e tomar novamente as rédeas de suas vidas ou permanecer para sempre em um mundo de ilusão.

"Está tudo desmoronando e agora nós sabemos disso."

Redoma é um livro magnifico! Tanto em sua proposta, quando em seu desenvolvimento e sua escrita. Meg Wolitzer criou um mundo novo baseado em tudo aquilo que já sentimos alguma vez na vida, o que me fez ficar totalmente presa neste livro e pensando sobre tudo que já fiz na vida - parecido com isso. 

Todos nós já tivemos problemas que tivemos vontade de esquecer. Já tivemos alguma fase na vida em que sentimos que aquilo não serve mais, que estamos só existindo e não vivendo. E se tivéssemos a oportunidade de esquecer tudo aquilo e viver nossas alegrias novamente? Mesmo que por algumas horas no dia, aceitaríamos sem pensar duas vezes. 

Aceitaríamos porque temos medo de encarar a realidade, temos muitas vezes medo de mudar e medo do desconhecido. O que é bom, mas também é ruim. Jam sofre exatamente com isso, ela sofre com o fato de ter perdido tudo aquilo que ela amava e que lhe fazia bem e com um passo de mágica ela pode ter tudo novamente. 

O problema é no final, quando as páginas do diário acabarem e aquela magia também. O que devemos fazer? Devemos mudar e seguir em frente ou devemos permanecer naquele estado de ilusão? Este é o dilema de Jam e também de muitas pessoas. 

O que me encantou no livro foi isso, o poder que ele tem de te fazer pensar na vida e nas decisões que você toma. O poder que uma simples escolha traz para você e para tudo aquilo a sua volta. Meg Wolitzer soube escrever com perfeição todos esses problemas, e de uma forma muito criativa. 

A capa do livro é muito bonita e a diagramação e simples, mas com folhas amareladas. 

Obrigada demais a Globo Alt pelo livro e também a Aliança de Blogueiros. 

18 de março de 2017

Resenha: One Man Guy - Michael Barakiva

Livro: One Man Guy
Autor: Michael Barakiva
Editora: Leya
Páginas: 269
Compre: Amazon

Sinopse: Um romance sobre dois garotos. Dois mundos e um encontro.
   Ethan é tudo o que Alek gostaria de ser: confiante, livre e irreverente. Apesar de estudarem na mesma escola, os dois garotos pertencem a mundos diferentes. Enquanto Ethan é descolado e tem vários amigos, Alek tem apenas uma, Becky, e convive intensamente com sua família e a comunidade armênia.
   Mesmo com tantas diferenças, os destinos de Ethan e Alek se cruzam ao precisarem frequentar um mesmo curso de férias. Quando Ethan convence Alek a matar aula e ir a um show de Rufus Wainwright no Central Park, em Nova York, Alek embarca em sua primeira aventura fora de sua existência no subúrbio de Nova Jersey e da proteção de sua família. E ele não consegue acreditar que um cara tão legal quer ser seu amigo. Ou, talvez, mais do que isso.
   One Man Guy é uma história romântica, comovente e engraçada sobre quando as pessoas saem de suas zonas de conforto e ajudam o outro a ver o mundo (e a si mesmo) como nunca viu antes.


Ethan e Alek é a história bem clichê de que os opostos sempre se atraem. Mas neste caso, os opostos não são tão opostos assim. Estava animada para ler este livro, pois nunca tinha lido nenhum livro deste tipo, mas o livro em si não me agradou muito. 

A escrita de Michael Barakiva não é algo que prenda, não senti a menor vontade de procurar para ver se ele tinha outros livros e também no final a leitura se arrastou um pouco. Gostei do livro, pois me fez entender mais o lado gay, entender as dificuldades que eles passam e também que mesmo nos livros, a vida não é 100% perfeita. 

"Só sei que gosto de estar aqui com você e não consigo me imaginar querendo mais ninguém. Isso basta para você?" 

O amor que eles sentem um pelo outro é algo fofo e puro, que você sente que vem da alma. Este livro é muito bom para todos que amam conhecer mais da vida, que gostam de ter experiências diferentes e que se identificam com o mundo gay. 

A capa eu achei uma graça, o fato de terem mantido o título em inglês ficou PERFEITO e a diagramação é bem simples, sem detalhes, porém as folhas são amarelas o que já me conquistou. 


É um livro diferente, com muito romance e descobertas. O que também posso deixar aqui do livro é que ele tem muitas sutilezas em algumas cenas, o que se você não prestar atenção, irá perder o sentido e a explicação das coisas. Me apaixonei pelo Alek e pelo Ethan, mas não consegui ficar apaixonada pela escrita do Michael. 

O livro vale a leitura e estou animada para ler outros livros deste gênero. 


Obrigada a Editora Leya e a Aliança de Blogueiros.